Depoimentos

  • Sandra Yoshida Rodermann 24/01/2017 10:57:05

    Aos organizadores da Rota do Café no Norte pioneiro do Paraná Percorremos uma pequena parte da Rota entre os dias 2 janeiro (Fazenda Monte Bello) e dia 3 de janeiro de 2017 (Fazenda Palmeira). No primeiro dia fizemos a trilha da Fazenda Monte Bello sob orientação do Ricardo, que nos mostrou com entusiasmo detalhes de plantas medicinais, do cultivo das frutas e das antigas instalaçoes. Por sorte chegamos na época da colheita de lichias e pudemos saboreá-las diretamente do pé! Também acolhedor foi o convívio com o Sr Victor e sua família, em uma longa conversa através do tempo onde nossos passados já haviam se cruzado. Pernoitamos na fazenda, aproveitando a atmosfera colonial, destacando a limpeza e organização do local. No segundo dia fomos recebidos pela Dona Cornélia, da Fazenda Palmeira, em mais do que um tour, mais em uma aula dinâmica sobre o café de alta qualidade, seus fatores determinantes e da estrutura que inclui responsabilidade social e ambiental desde o cultivo ao beneficiamento. Foi muito motivante testemunhar e compartilhar tanta paixão e dedicação à lavoura, fatores que fazem seu produto ser merecidamente premiado! Ainda para finalizar, um café colonial abundante com receitas de família que pemitiram a experiência de tomar um café de fazenda tão aconchegante. Isso tudo simultaneamente em dois idiomas (um obrigado especial à D Cornélia por isso)! O que torna este passeio especial é a originalidade, culturalmente enriquecedor, apropriado para diversos públicos e idades. Desejamos muito sucesso e que a Rota do Café se torne cada vez mais conhecida e visitada. Rosely, Matthias e Sandra

  • Keliani Bordin 04/12/2016 18:26:03

    Em setembro, eu e meus colegas tivemos a oportunidade de viagem pela Rota do Café. A viagem foi de muito aprendizado, conhecemos pessoas maravilhosas, atenciosas e dispostas a sanar todas as dúvidas e ajudar no que for necessário para proporcionar uma experiência inesquecível. Super recomendamos e com certeza voltaremos. Keliani Bordin, Pesquisadora da PUCPR de Curitiba

  • Lilian Laís 05/07/2015 19:14:25

    "A viagem foi surpreendente e simplesmente sensacional". Lilian Laís, aluna do curso de guia turístico, do SENAC Maringá

  • robson de souza germano 08/12/2014 08:09:42

    Quem tiver a oportunidade de passear pela rota, vai ter uma linda experiência como o Paraná e Londrina e referência no Brasil.

  • A Rota do Café por Silvia Oliveira 11/09/2014 21:09:28

    "A proposta da Rota do Café – e aí está todo o diferencial – é facilitar experiências de vida e promover vivências pessoais. Toda a região Norte do Paraná já foi referência mundial na produção cafeeira, mas a baixa dos preços seguida por fortíssimas geadas nas décadas de 60 e 70 dizimaram plantações inteiras. Ficaram a memória e os projetos de colonização. Um olhar rápido pelos caminhos que formam a Rota do Café do Paraná você vai perceber que ela resgata não só a minha, mas também a sua história. Devota paixão e estabelece uma nova relação entre o pioneiro e a nova geração”.

    Silvia Oliveira, Jornalista especializada em Turismo.

  • Depoimento de Katia e Tomio 10/09/2014 09:36:16

    “Olá pessoal da Rota do Café,

    No feriado de abril, meu namorado e eu,  fizemos um pedacinho da Rota Café. Ficamos com vontade de mais....mais café...rs. Aprendemos muito, de massa de macarrão a cobrir o café no terreiro. Conhecemos pessoas apaixonadas pelo café, mas, principalmente, pessoas acolhedoras e dispostas a partilhar conhecimento. Na “nossa rota” foi possível mergulhar no mundo do café-  ver a diferença entre os tamanhos do pé de café  bourbon  e mundo novo, diferentes  tipos de torras, terreiros de secagem mostrando  a grandeza da época do café e a engenhosidade dos europeus para trabalhar o fruto;  experimentar a rara bebida do “jacu”, refrigerante e  pratos elaborados com o café,  enfim....tem de tudo.”

    Kátia e Tomio

  • Depoimento de Lucinéia Chamorro e Silva 10/09/2014 09:25:26

    “Nossa excursão para o mundo entre o ontem e o hoje começou logo cedo, às 7 da manhã. Nos encontramos no local combinado onde embarcamos no micro-ônibus. Ainda sonolentos, começamos a viagem. Na televisão, um filme informava sobre o surgimento e expansão dos cafezais no Norte do Paraná. Pela janela a paisagem ia se modificando lentamente, de cidade a campo, de plantações a novas cidades. Enquanto isso o sol iluminava a paisagem ora com tons de laranja, ora com tons róseos, nos preparando para um dia de aventuras e descobertas. De repente, a paisagem de plantação em pequenos sítios se modificou e entramos por um caminho onde uma alameda de árvores enormes separava a vida urbana da rural. Parecia que estávamos entrando no início da criação de Deus. Neste paraíso, em Ribeirão Claro, tomamos um delicioso café da manhã para nos revigorar e nos preparar para penetrar no paraíso terrestre, onde os matizes de verde ainda protegem a nascente do rio. Ali, entre cipós, frutos e flores, encontramos uma figueira branca de 300 anos reinando entre todas as outras espécies. Estávamos em uma fazenda de café, portanto, após presenciarmos a presença de Deus nos aromas e na tranqüilidade em meio às árvores, fomos conhecer o que a engenharia florestal criou em 1909, a “indústria” rural de produzir o café. Numa época em que não havia energia elétrica, é impressionante como o ser humano conseguiu organizar a vida e a produção apenas com o uso da gravidade. Ficamos impressionados com os canais artificiais e com o terreirão de secagem do café. (...) Bem, finalizamos este dia diferente, divertido e instrutivo em Londrina no cair da noite, após o sol se despedir com uma festa de cores refletidas no negro do asfalto.”

    Lucinéia Chamorro e Silva

Envie o seu depoimento